The Lusiads, tr. into Engl. verse by J.J. Aubertin, Volume 1

Front Cover
1878
0 Reviews
Reviews aren't verified, but Google checks for and removes fake content when it's identified
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Contents

Other editions - View all

Common terms and phrases

Popular passages

Page xiv - It is to the discovery of the passage to India, by the cape of Good Hope, and...
Page 260 - Converte-se-me a carne em terra dura, Em penedos os ossos se fizeram; Estes membros que vês, e esta figura, Por estas longas aguas se estenderam: Em fim, minha grandissima estatura Neste remoto cabo converteram Os deoses; e por mais dobradas magoas. Me anda Thetis cercando destas agoas.
Page 272 - E foi , que de doença crua e feia A mais que eu nunca vi , desampararam Muitos a vida , e em terra estranha e alheia Os ossos para sempre sepultaram. Quem haverá que, sem o ver, o creia ? Que tão disformemente alli lhe incharam As gingivas na boca , que crescia A carne , e juntamente apodrecia : LXXXII. Apodrecia c...
Page 2 - Vós, ó novo temor da Maura lança, Maravilha fatal da nossa idade, Dada ao mundo por Deos, que todo o mande ; Para do mundo a Deos dar parte grande : VII.
Page 172 - Ó tu, que tens de humano o gesto eo peito (Se de humano é matar uma donzela, Fraca e sem força, só por ter sujeito O coração a quem soube vencê-la), A estas criancinhas tem respeito, Pois o não tens à morte escura dela; Mova-te a piedade sua e minha, Pois te não move a culpa que não tinha.
Page 74 - Mas moura em fim nas mãos das brutas gentes ; Que pois eu fui... E nisto , de mimosa, O rosto banha em lagrimas ardentes , Como co'o orvalho fica a fresca rosa...
Page 132 - A matutina luz serena, e fria As estrellas do polo já apartava, Quando na Cruz o Filho de Maria, Amostrando-se a Afonso, o animava. Elle, adorando quem lhe apparecia, Na Fé todo inflammado, assi gritava : " Aos infieis, Senhor, aos infieis, E não a mi, que creio o, que podeis !
Page 158 - Fez primeiro em Coimbra exercitar-se O valeroso officio de Minerva, E de Helicona as Musas fez passar-se A pizar do Mondego a fertil herva. Quanto pode de Athenas desejar-se, Tudo o soberbo Apollo aqui reserva : Aqui as capellas dá tecidas de ouro, Do baccharo, e do sempre verde louro.
Page 120 - Eis-aqui, quasi cume da cabeça De Europa toda , o reino Lusitano, Onde a terra se acaba, eo mar começa...
Page 252 - Sabe que quantas naus esta viagem Que tu fazes, fizerem, de atrevidas, Inimiga terão esta paragem, Com ventos e tormentas desmedidas!

Bibliographic information